sexta-feira, maio 18, 2007

Afinal sabemos quem somos?

Ao ler algumas estatísticas relativas À taxa de suicídio e para-suicídio em Portugal, verifiquei que em primeiro lugar e infelizmente, que a taxa está a subir, depois também reparei que se acentua muito mais à medida que a idade avança, sendo que os mais jovens suicidam-se menos que os mais velhos.
É catastrófico alguém chegar a este ponto, o desespero, a falta de propósitos para a vida, a infelicidade. Um mundo que tem experimentado tudo e que tem tido cada vez mais coisas, está cada vez mais farto de tudo. A busca incessante por prazeres momentâneos e coisas novas, não fez com que o ser humano achasse o sentido da vida. E eu pergunto: "Sabemos que somos?".
O acesso à informação e ao conhecimento é cada vez maior, porém o mundo ainda não sabe quem é, com dúvidas de onde veio, sem certezas para onde vai, sem saber o que fazer aqui. O Homem tem buscado respostas dos mais variados tipos, mas será que alguma vez soube quem era? Tenho visto o mundo numa decadência moral e ética horrível. Os grandes objectivos do homem são angariar o maior número possível de posses, outros querem poder, outros contentam-se com a saúde, porém onde está a felicidade?
O ser humano sente que pode ser feliz, caso contrário não tentaria sê-lo, porém sem saber quem se é, não se pode ser feliz. Saber quem se é, é o ponto primordial para se descobrir o propósito para o qual fomos feitos.
Termino o post com uma resposta implícita nas palavras do ateu Bertrand Russell:
A menos que se admita a existência de Deus, a questão que se refere ao propósito para a vida não tem sentido.

9 comentários:

gustavo antunes disse...

de todo o seu blog este e sem duvida aquele que realmente mais gostei!

grande linha de pensamento soberbo até!

gostei especialmente da parte onde fala se realmente sabemos quem somos.concordo perfeitamente!
se bem que cada um tem as seus ideais!
nao penso ter de acreditar em algo para descobrir a minha essencia, basta me descobrir e manter-me fiel aos meus principios!

um abraço!
continue assim!

Natenine disse...

A tua opinião é bem-vinda, mas deixa-me fazer um apontamento.
Todos temos de acreditar em algo, ou em nós próprios, ou em Deus, ou que os nossos princípios são certos, ou até na inexistência de Deus, etc.
O que é certo é que o ser humano tem necessidade de alguma coisa para acreditar.

Benjamim disse...

Saber de quem se é, é muitíssimo importante.Nada é nosso nem a nossa própria vida. É por isso que para os q assim pensam, é muito mais fácil encontrar a alegria, ser feliz e descansar, certos de que Aquele q nos criou e está no controle da nossa vida nos pode aliviar nos momentos de maior ansiedade e provação. Os q se julgam auto-suficientes, nos piores momentos, percebem q não há força humana q consiga superar certos golpes irentes à vida e, então, donos de si-mesmos, tiram a melhor dádiva - a VIDA. É maravilhoso estar vivo , alguém disse um dia, eu digo-o hj.

Adilson Marques disse...

N9,
Cada vez mais acredito que a felicidade só pode ser alcançada por quem sabe de onde veio e, principalmente, para onde vai. Caso contrário apenas a empresa desta vida não é suficiente para fazer alguém feliz. Uma boa reflexão. Um abraço.

Alarka disse...

Muito provavelmente as pessoas procuram a felicidade que tanto desejam nas coisas erradas. A crença em Deus, numa entidade superior que nos alenta, a busca por um objectivo de vida, um sonho, os amigos, a família, uma vocação, podem dar à pessoa o alento que ela precisa para se manter "viva". Tudo depende das pessoas e da sua situação. Sem um ponto de apoio as pessoas desesperam, sentem-se desamparadas e perdidas. É necessário algo que as tire desse vazio. É necessário que se encontrem.

Um abraço. ;)

FilosofoIgnorante disse...

O sentido da vida não depende de crer ou não crer em algo sobrenatural.
Temos nosso mundo natural, e este é único e exclusivamente nosso, com seu próprio sistema de vida.
Sabemos-nos finitos e temos que nos aceitarmos tais quais somos.
Ora! Por que teimamos em se opor às leis próprias de nossa vida?
Somos como todos os outros animais: nascemos, vivemos por um breve tempo e morremos. Que há de errado nisso?
Sejamos humanos, aceitavelmentes humanos. Que teimosia absurda!
Com ou sem sentido, esta é a nossa vida, e pronto! Oras!

FilosofoIgnorante disse...

Por que temos quer procurar a felicidade a todo custo?
Para que nos inquietarmos buscando prazeres?
Por que não nos contentermos em simplesmente comer e dormir, como fazem as feras?
E a dor? Por que não a suportamos somente enquanto a isso estivermos dispostos. Se soubermos que a saúde é está diagnosticadamente fatal, para que conservá-la?
De nada somos escravos, nem mesmo da própria vida, e quando está se nos apresenta com dores irremediáveis, devemos dela nos desapegarmos. Sejamos senhores de nossa vida enquanto a temos e não seus escravos.
A vida só deve ser desejada se bem vivida, caso contrário devemos extingui-la. Deus não tem câncer, e se nós por desventura tivermos um, para que protelarmos este mal que o sabemos fatal?
O suicídio em alguns casos é nossa libertação sempre à disposição.
Somos simples criaturas tanto quantos os pardais, "... e acaso algum deus se preocupa com pardais?
Podemos viver a vida com ou sem sentido, mas isso depende apenas de nós e não de Deus ou deuses quaisquer.

natenine disse...

Caro Filosofo ignorante.
Se todas as coisas que disses fossem verdadeiras então eu juntamente contigo me renderia à célebre frase de jean paule sartre: "O Homem é uma piada trágica, num contexto de total absurdo cósmico".

as tuas ideias derivam da tua cosmovisão, neste caso me pareceu naturalista. Por outro lado eu sou supranaturalista e não vejo as coisas dessa forma. Poderia da mesma maneira defender a minha cosmovisão sem argumentos foi o que fizeste, apenas me deste alguma complacência e tentas-te dissuadir-me da minha forma de pensar.

Disseste:
Por que temos quer procurar a felicidade a todo custo?
Para que nos inquietarmos buscando prazeres?
Por que não nos contentermos em simplesmente comer e dormir, como fazem as feras?
E a dor? Por que não a suportamos somente enquanto a isso estivermos dispostos. Se soubermos que a saúde é está diagnosticadamente fatal, para que conservá-la?


As tuas perguntas são realmente de alguém que procura sentido na vida, e isso só demonstra que não somos como os demais animais, procuramos algo, e deixa-me colocar-te o desafio com base numa outra célebre citação, desta vez de Agostinho: "Oh Senhor, os nossos corações não encontraram descanso, enquanto não descansarem em ti". Eu posso assinar por baixo esta expressão.

Obrigado pela visita e pelo comentário
abraço ;)

natenine disse...

filosofoignorante, desculpa.